Maytê Piragibe: 'Sou uma pessoa mais forte agora, tipo Tropa de Elite'

A grande vencedora do 'Dancing Brasil' faz altas confissões e desabafos sobre o reality

Por Daniel Vilela

A atriz venceu o Dancing Brasil | <i>Crédito: Record TV
A atriz venceu o Dancing Brasil | Crédito: Record TV
Após meses de exaustivos ensaios diários, pressão por ter sempre apenas quatro dias para aprender um novo ritmo, críticas, polêmicas e, segundo ela própria “injustiças”, Maytê Piragibe foi a grande vitoriosa do Dancing Brasil, da Record TV. Ao lado do parceiro de disputa, o bailarino Paulo Victor, a atriz faturou o prêmio de R$ 500 mil. E, no palco, ao vivo, diante da apresentadora Xuxa Meneghel e dos colegas Leonardo Miggiorin e Jade Barbosa, disparou um sonoro “a voz do povo é a voz de Deus”, como se estivesse com algo engasgado após o campeonato de dança. 

Na sequência, no Programa do Porchat, Maytê seguiu se defendendo e alfinetando... Sobrou até para a Rainha dos Baixinhos, que “entregou” a Fábio Porchat um suposto namoro entre ela e Paulo... O clima esquentou, especialmente porque Maytê, naquela noite, havia levado as notas mais baixas dos jurados Fernanda Chamma, Jaime Arôxa e Paulo Goulart Filho. Mas, segundo a vontade do telespectador, ela ganhou com menos de 1%, de Jade. 

Passada a euforia inicial, a estrela reforçou que considerou as críticas do júri um tanto quanto pesadas durante a atração. E afirma ter se sentido demasiadamente cobrada por ele. Mas, claro, agradeceu muito à torcida que lhe deu a tão sonhada conquista. “Tenho muita gratidão porque a gente dança para o público! Afinal, é ele quem decide quem merece ganhar ou não”, pondera. 

Apesar dos rumores de romance com Paulo Victor, a campeã garantiu estar solteiríssima. E já tem destino certo para o prêmio. Ela vai investir na educação da filha, Violeta Cruz, de 6 anos, fruto de seu casamento com o modelo Marlos Cruz. “Sou uma mulher de muita fé. Desde que subi ao palco, fiz tudo com coração, entrega, paixão e sinceridade.” 

Ao sair mais forte do que entrou no reality, Maytê assegura que manterá a dança em sua vida. E, inclusive, acompanhará de perto a próxima temporada do Dancing, a partir de 24 de julho. No elenco, aliás, estarão Milene Domingues, Alinne Rosa, Lexa, Carla Prata, a jogadora de vôlei Jaqueline Carvalho, Suzana Alves, Yudi Tamashiro, Jesus Luz, o sambista Fernando Pires, Raphael Sander, Theo Becker e Carlos Bonow. Vamos ao papo com Maytê?

TITITI – Imaginou que seria a campeã? 
Maytê Piragibe – Com 33 anos na cara, não tinha a menor noção de vocação para a dança. Pensei em aprender um pouquinho, mas não imaginava ter a capacidade de ganhar. E hoje vejo que não tem idade para se encontrar um novo talento. A gente vai deixando tudo para depois, acha que tá velha, a vida se encarrega de uma agenda atribulada... Então, quando surge uma oportunidade, a gente tem de agarrar com o coração, mesmo! 

TITITI – O que vai fazer com o prêmio? 
Vou colocar na poupança da Violeta. Minha filha merece ter essa segurança em relação ao futuro, educação. Também vou dar uma bonificação ao Paulo Victor.

TITITI – Foi difícil encarar críticas e pressão? 
Nessa competição é muito importante a capacidade de não se abalar, de criar um filtro em volta de você, cheio de luz, e não deixar nada, nem ninguém te fragilizar. Porque no meio do caminho dá vontade de desistir, sim! Chora-se todo dia, dá pânico. Semanalmente, temos quatro dias para dar um show ao vivo e ainda ser avaliada como bailarina, coisa que não sou. 

TITITI – Por que chorou tanto durante os números finais?
Passei por muitas dificuldades e situações nas quais precisei ter, mesmo, um filtro, silenciar as críticas, erguer a cabeça e dar o meu melhor. Minha família deu muito suporte para me concentrar no que realmente importava, que não era a competição, nem o prêmio. Não estava aqui para ser melhor do que ninguém, estava para ser a minha melhor versão. 

TITITI – A justiça foi feita ao receber o troféu? 
Quem é humilhado será exaltado. Eu era realmente muito julgada, criticada, tinham um nível de exigência muito alto.

TITITI – Saiu fortalecida da experiência?
Sou uma pessoa mais forte agora, tipo Tropa de Elite (gargalhadas). O reality é uma experiência completamente diferente, porque ali não tem personagem. Sou eu, sem máscaras, com meus defeitos. E vocês viram, sou sincera e verdadeira. Não dá para viver assim, maquiada, editada, como tantos. Tem de ter coração!

TITITI – Sua filha leva jeito para a dança?
Violeta faz balé desde 1 ano, consegue dar piruetas melhor do que eu (risos). Muito se especulou sobre sua relação com o Paulo. 

TITITI – Isso a atingiu? 
Ainda tem isso (risos). Nunca tive minha vida pessoal exposta assim, sempre fui muito discreta. As pessoas se encantaram com a nossa química e confundiram, né? Meio como um par romântico na novela, que quando dá muito certo, e os dois são solteiros, já juntam e formam um casal. Contudo, estou solteira. 

TITITI – Pensa em enfrentar outro reality?
Mas nunca mais na minha vida (gargalhadas)! Me convidaram para a segunda edição de A Fazenda, há mil anos, mas não quis que me falassem nem o cachê (risos). 

TITITI – Aliás, como foi ter Xuxa ao seu lado no Dancing Brasil? 
Uma emoção grande, porque fui uma baixinha. Meu sonho era ser paquita, então quando dancei Lua de Cristal ao lado dela foi um sonho realizado.

04/07/2017 - 05:37

Receba as novidades da Tititi em seu e-mail! Cadastre-se abaixo:

*preenchimento obrigatório

Conecte-se

Revista Tititi