Vivianne Pasmanter: com ou sem Germana, ela rouba todas as cenas de Novo Mundo

Destaque total na novela das seis, a estrela fala de mais esta personagem de sucesso e muitas curiosidades!

Tititi Digital

'Tem umas coisas do público que são muito gratificantes, fico surpresa e grata´, conta a atriz | <i>Crédito: Raquel Cunha/TV Globo
'Tem umas coisas do público que são muito gratificantes, fico surpresa e grata´, conta a atriz | Crédito: Raquel Cunha/TV Globo
Vivianne Pasmanter dispensa apresentações. Considerada uma das grandes estrelas da TV (além do cinema e do teatro), ela conta com mais de 25 trabalhos na telinha, inclusive novelas inesquecíveis como Felicidade (1991), Mulheres de Areia (1993), A Próxima Vítima (1995), Anjo de Mim (1996) e Por Amor (1997). Ao entrar em cena, a atriz de 46 anos e 1,60 m se torna gigante. Mas, se você pensa que o sucesso vem apenas do público mais experiente, está redondamente enganado! Quem prova isso é a Germana, sua personagem em Novo Mundo, a novela das 6 que está bombando a audiência da emissora. A figura politicamente incorreta diverte não só os mais velhos, como também faz a alegria da criançada, para surpresa da própria artista: “Eu não sabia, mas tem gente falando que tem filhos de 3, 4 e 7 anos que adoram a Germana! Acho isso muito legal! Pensando bem, acho a Germana meio parecida com a Cuca do Sítio do Picapau Amarelo”, diz a bela, divertindo-se e irreconhecível no papel da feiosa e desengonçada esposa de Licurgo, interpretado também de forma brilhante por Guilherme Piva na trama.

TITITI – Quanto tempo leva o trabalho de caracterização da Germana? 
Vivianne Pasmanter – No começo, demorava mais. Agora a gente vai pegando o jeito, conta com uma linha de produção, enquanto um faz a maquiagem o outro faz a “tatuagem” da queimadura da Germana. Depois, enquanto um faz o cabelo, outro cuida dos dentes... Assim a gente vai diminuindo o tempo. Para facilitar, já venho de casa com o corpo maquiado. Então agora está rápido... Cerca de uma hora mais ou menos. O demorado mesmo é pra tirar (risos)...

TITITI – Jura!? Quanto tempo para tirar essa maquiagem toda? 
Muito tempo. São banhos e mais banhos bem demorados!

TITITI – Já tinha feito um tipo tão feioso assim antes? 
Nunca (gargalhadas)! Fiz a Lavínia em Anjo de Mim, que tinha um cabelo desgrenhado no começo, mas que depois ficou mais bonitinha. Já nesta novela, os personagens em geral não tem maquiagem, né? E isso é algo novo na TV. Antes, as novelas de época tinham aquela coisa falsa com maquiagem mais leve, sendo que no período nem existia make. Em Novo Mundo tudo é mais crível.

TITITI – Como são feitos esses dentes horrorosos da Germana? 
Eles dão o maior trabalho! Uso uma prótese para dar um efeito prógnato (levar o queixo para a frente). E nos dentes a gente usava uma maquiagem à base de álcool, mas que saía constantemente no set. Foi quando tentamos uma prótese para dar um tom de cinza. Usamos ainda um verniz que é flúor, daqueles de criança, que só pode escovar no dia seguinte. Ele garante aquele tom de dente podre.

TITITI – E para tirar é muito difícil? 
Vai na unha (gargalhadas)! 

TITITI – Já aconteceu de esquecer e ir a algum lugar assim?
Eu saio assim (dos estúdios)! Já cheguei a uma festa depois do trabalho e me perguntaram: “Ué, o que você tem no dente?” Não tem como. Tomo banho, esfrego muito e sempre fica um pouquinho aqui e ali.

TITITI – Você está sendo muito elogiada por um papel que tinha tudo para cair no caricato. Só que não! Esperava esse sucesso todo? Foi uma surpresa! 
Na verdade, eu não esperava. Quando tudo começou, foi tão rápido que não tive tempo de pensar em nada. Era se jogar e ir embora! Foi um trabalho a quatro mãos: eu e o Vinícius Coimbra (diretor artístico). Fomos construindo tudo nos ensaios sem saber onde iria dar. Posso dizer que a Germana nasceu, mesmo, no primeiro dia de gravação, no set. Apesar de ser algo diferente, audacioso, foi um mergulho com tudo. E a resposta quanto ao sucesso está sendo uma surpresa. Não imaginava que ia ser tão querida pela Germana. Ainda me surpreendo quando chega gente, às vezes até aqui do Projac, para elogiar meu trabalho. Outro dia, veio um câmera emocionado e me deu um abraço... Tem umas coisas do público que são muito gratificantes. Fico surpresa e grata! Isso só me dá mais confiança para continuar criando e embarcando nessa!

TITITI –  Como é fazer alguém assim, tão louca? 
É muito bom porque cabe qualquer coisa. Tudo cabe nela! Então, é muito engraçado, me divirto muito fazendo. Às vezes, você tem uma personagem que deve ficar numa linha de atuação muito justa, precisa. E a Germana não tem isso... Eu decoro o texto, estudo, mas na hora ela me permite fazer coisas completamente diferentes. Tem uma coisa de espontaneidade, de liberdade muito grande.

TITITI – Falando em vaidade... Vivendo a Germana você não pode cuidar das unhas, por exemplo. E aí? 
Eu fico sem fazer (risos). Mas isso é o de menos! Não passo esmalte nem nada. Eu vivo a Germana mesmo: uma unha grande, uma pequena, uma quebrada... A gente usa maquiagem de sujeira e tal.

TITITI – Afinal, ela é vilã ou é uma sem noção, mesmo? 
Ela não é vilã. Ela é uma totalmente sem noção!

TITITI –  O que seus filhos (Eduardo e Lara Zaborowsky, de 14 e 12 anos) acham da Germana? 
Quando começou a novela, minha filha falou que não ia assistir. Já meu filho viu e gostou. Agora, tem uma semana que ela dá uma olhadinha ou outra, e está começando a assistir (risos). Ela ficou revoltada com a minha aparência. Deve ter vergonha da mãe (gargalhadas).

TITITI – E você? Fica chocada com o texto da Germana quando começa a ler em casa? 
Às vezes, eu morro de rir sozinha! Rio muito! Algumas vezes é até uma frase boba, mas morro de rir. Gosto muito da Germana, porque acho ela muito sonsa, sabe? Outro dia, recebi um texto que foi demais. Foi logo depois daquela cena do chá que a Elvira (Ingrid Guimarães) ia dar para o Joaquim (Chay Suede), mas quem tomou foi o Licurgo, que acabou se apaixonando por ela... A Elvira vai tirar satisfação com a Germana sobre a solução do problema. E a Germana fala: “É só a gente trocar de marido!” É muito sonsa (gargalhadas)!

TITITI – Ao entrar na cidade cenográfica da novela, temos a sensação de passar por uma máquina do tempo. Como é desligar da realidade e mergulhar no passado? 
A primeira vez que entrei nela me emocionei! Vi a figuração, os objetos de arte... Realmente foi como se tivesse voltado no tempo. Quanto a desligar da realidade, não consigo. Com filho, não tem como... É celular sempre que posso!

TITITI – Se sente realizada como mãe e atriz ou acha que dá para melhorar alguma coisa? 
Sempre dá para melhorar. No trabalho, o que me motiva é aprender sempre, buscar melhorar, pensar no que posso fazer de melhor. É minha grande motivação, a grande vocação! Como mãe é difícil (gargalhadas). Como é difícil educar filho, né? Quem é mãe, sabe. Acho que as escolhas são a parte mais difícil no dia a dia. A gente que é mãe faz escolhas a cada momento... Dar bronca ou não, passar a mão na cabeça ou não... Não é fácil...

TITITI – De volta a Novo Mundo... E essa parceria incrível com o Guilherme Piva? 
É a primeira vez que trabalham juntos? Sim!!! Sempre ouvi muito falar do Guilherme e, quando soube que seria com ele, pensei: ‘Que delícia!’ Ele é um super-ator, é uma pessoa deliciosa, maravilhosa, supercompanheiro mesmo!

TITITI – A novela, diga-se de passagem, está se igualando a Êta Mundo Bom! em termos de audiência. A que atribui todo esse êxito? 
Acho que essa novela é um acerto geral. O texto é muito bom, a dramaturgia muito boa. Adoro essa coisa do histórico, das coisas que se mesclam com o atual. Adoro assistir a isso na nossa novela. Fora que o trabalho dos atores está muito bom! Amo vê-los! Os figurinos também estão lindos... A novela está linda, benfeita, bem dirigida. Sou suspeita para falar... Mas, às vezes, uma história tem tudo isso e não necessariamente dá certo.

TITITI – Nessa trajetória tão consolidada, há algum personagem que guarda com mais carinho na memória? E o mais delicado de fazer? 
Guardo todos na memória, com certeza! Tenho um carinho muito especial por todos. Mas adoro a Lavínia de Anjo de Mim; amo a Maria João de Uga-Uga (2000). A Débora, de Felicidade, me tirou o sono totalmente! Foi dificílimo fazer. 

TITITI – Mas também a primeira, né? E isso tem quase 25 anos... Mesmo assim foi um sucesso! Você explodiu ali! 
Foi sim, verdade! Mas foi um sucesso à custa de muita tripa (gargalhadas).

Preencha os campos e receba nossas novidades no seu e-mail!

* campos obrigatórios

20/06/2017 - 06:26

Receba as novidades da Tititi em seu e-mail! Cadastre-se abaixo:

*preenchimento obrigatório

Conecte-se

Revista Tititi