As divertidas – e deliciosas – confissões de Agatha Moreira!

Com muito bom humor, a intérprete da Camila, de Haja Coração, fala do prazer de gravar no núcleo cômico da novela, faz um balanço sobre a carreira e muito mais

Daniel Vilela

Agatha Moreira é Camila em Haja Coração | <i>Crédito: Divulgação/TV Globo
Agatha Moreira é Camila em Haja Coração | Crédito: Divulgação/TV Globo
O maior desafio de Agatha Moreira, no momento, não é fazer de sua personagem, Camila, na trama global das 7, um sucesso absoluto. Até porque já é, né? A missão mais difícil é, simplesmente, não rir durante as gravações, sobretudo quando colegas pra lá de divertidos estão dentro do estúdio. “Impossível não gargalhar quando se tem na ficção uma mãe feita pela Claudia Jimenez e um pai, pelo Marcelo Médici”, diz a atriz, que viu Camila perder a memória, se transformar em outra pessoa e, agora, voltar a aprontar das suas.

Entre as sequências mais complicadas de fazer até aqui (em função das risadas no set), a bela cita uma, na não menos engraçada mansão dos Abdalla. 
“Em uma das primeiras cenas, a Camila estava em coma e eu, lógico, não podia rir de jeito nenhum. Mas na hora em que o Médici começou a contar piadas, não deu pra segurar”, brinca ela, que tem adorado a oportunidade de se arriscar no humor. “Me divirto muito e, ao mesmo tempo, tenho chance de aprender com os mestres nisso”, fala, referindo-se também a Alexandre Borges, Tatá Werneck e Grace Gianoukas.

Os tempos de modelo, aliás, ficaram para trás mesmo. Rapidamente, Agatha mostrou que seu lugar é na TV e nos palcos. A partir de Malhação (2012), na qual deu vida à protagonista Ju, ela chama atenção. Depois fez a Giselle de Em Família (2014) e a problemática Giovanna de Verdades Secretas (2015).

No campo pessoal, a musa, de 24 anos, está solteira desde o fim do relacionamento de três anos com o cineasta Pedro Nicoll. E tem curtido a atual fase.

TITITI – Teve medo de que as pessoas não torcessem pelo amor de Giovanni (Jayme Matarazzo) e Camila por conta do gênio difícil dela?
Agatha Moreira – Não, porque a história deles é muito bonitinha. Fica difícil alguém nãose apaixonar pelos dois.

Chegou a ver alguma cena de Sassaricando (1987, quando Maitê Proença fez Camila), que inspirou Haja Coração?
Pedi ao Silvio de Abreu (diretor de dramaturgia diária da Globo) para ver, mas ele me proibiu. Não fui curiosa, não procurei no YouTube. Obedeci. Se ele falou, tem um bom motivo, né (risos)?

Acha que o desafio de interpretar um tipo com praticamente duas personalidades é o maior de sua carreira?
Ah, em cada etapa, tive um desafio diferente, tudo no mesmo nível. O primeiro foi ser protagonista de Malhação sem ter experiência alguma. Depois, fui para uma novela das 9, Em Família. Em seguida, encarei a Giovanna, de Verdades Secretas, e mostrei um outro lado, porque até então só tinha vivido mocinhas. 

Seu público forte ainda são os adolescentes?
Sempre tive uma boa relação com eles, até mesmo quando estava na novela das 11. Até brincava: “Vocês sabem que não podem ver isso, né (risos)? Mas o público que me acompanhava em Malhação, aos 15, agora já está com 19. Eles cresceram comigo e eu com eles.

Vamos lá, confessa: o que faz você gritar “haja coração” na vida real?
Só consigo pensar no Galvão Bueno gritando isso na Copa do Mundo (risos). Sério, gente!

Então, curte futebol?
Não gosto, nem tenho time. Mas em época de Copa não sei o que acontece. O sangue vem pra cabeça e na hora dos jogos ninguém pode dar um pio na sala. Fico enfurecida. Aí sim, haja coração (risos)!

Qual a pior parte de morar sozinha?
É quando escuto um barulho e não tenho quem chamar (garga-lhadas).

Faria plástica?
Deus me livre! Já morro de medo de tomar vacina, imagina  cirurgia!

É do tipo que faz dieta?
Não me privo de nada porque a vida é uma só. Não deixo de comer o bolo de chocolate de hoje, pois amanhã ele pode não estar lá (risos). Mas tento manter equilíbrio e como de tudo: adoro legumes, um bom brócolis... E, no final de semana, meto o pé na jaca!

É sempre bem-humorada?
Sou a palhaça da turma! Não tenho vaidade nenhuma na hora de fazer humor.

Tem tempo para namorar com as gravações a todo vapor?
Olha, no caso... não (risos). Mas a gente sempre acha uma brecha, apesar de ser complicado. Agora, solteira, estou focada no trabalho, porque as gravações demandam um tempo que vocês não têm ideia. Estou achando ótima essa fase também.

Você foi modelo durante anos... Não sente falta das passarelas?
Não. Tudo o que poderia sentir falta da vida de modelo, realizo como atriz. 

Dá para exercer sua vaidade nos looks da Camila?
Mais ou menos. A Camila de antes era bem ligada em moda, trabalhava com isso, mas depois que perdeu a memória, deu uma repagi-nada e ficou mais careta, passou a ser mais confortável. Eu me identifico mais com o estilo da Camila “má” do que a “boa” (risos).

02/09/2016 - 20:00

Conecte-se

Revista Tititi