Grazi Massafera: “Não perco o meu tempo provando nada a ninguém"

Depois de pensar em desistir da carreira, a atriz se consagra em mais um papel de destaque em horário nobre, a aprendiz de vilã Lívia de O Outro Lado do Paraíso

A vilã de Grazi vai se apoderar do filho da cunhada | <i>Crédito: Globo/Raquel Cunha
A vilã de Grazi vai se apoderar do filho da cunhada | Crédito: Globo/Raquel Cunha

"Uma mocinha que não deu certo.” É assim que Grazi Massafera classifica Lívia, sua sedutora personagem em O Outro Lado do Paraíso. Embora a própria intérprete não a considere uma vilã, avisa: a periguete aprontará muito durante a trama, principalmente, quando se deixar levar pelas maldades da mãe, Sophia (Marieta Severo). “Meu pai, Gilmar (Massafera), sempre dizia que a criação influencia. “Filho de peixe, peixinho é”, pondera a atriz, que, aos 35 anos, é sucesso por onde passa.

Porém, nem sempre as coisas foram fáceis. Grazi ralou e muito! Única menina na família de quatro filhos, ela já foi manicure, se arriscou nas passarelas e  alcançou o terceiro lugar no concurso de Miss Brasil em 2004. Contudo, foi no Big Brother Brasil 5 (2005) que ela conquistou o país. Sua humildade e o jeito doce garantiram o vice-campeonato, a bolada de R$ 50 mil e um convite do autor Manoel Carlos para participar de Páginas da Vida (2006).

Apesar do êxito como Thelma, Grazi sofreu muito preconceito por ser ex-BBB. Embora tenha tido, sim, vontade de desistir, seguiu em frente. “Quem se coloca na linha de frente é para tomar tiro”, analisa ela, que aos poucos conquistou seu lugar e protagonizou novelas como Negócio da China (2008) e Flor do Caribe (2013).

E nada como um dia após o outro, não é mesmo? Depois de tantas críticas, a estrela deu a volta por cima e mostrou a que veio como a Larissa de Verdades Secretas (2015). A entrega da artista como a modelo decadente que viu a vida destruída pelo vício em crack emocionou o público, arrancou elogios dos especialistas e sua atuação rendeu uma indicação ao Emmy Internacional de 2016.

Para Grazi, no entanto, seu melhor papel até agora é, mesmo, o de mãe de Sofia, de 5 anos, fruto de seu casamento com o galã Cauã Reymond. “Adoro meu trabalho, mas gosto mais ainda de acordar ao lado dela, passear, levar na escola”, derrete-se a gata, que ano passado assumiu o romance com o empresário Patrick Bulus. Os dois estão tão bem que já fazem planos para subir ao altar em breve.

TITITI – Você diz que Lívia não é vilã... Mas ela também não é santa, né?
Grazi Massafera
– Sabe quando você vê alguém agindo errado, com atitudes de vilania mas, no fundo, a pessoa não é assim? Já, né? A grande vilã da novela é a mãe dela, Sophia. É uma família meio estranha. Eles se amam. Do jeito deles, mas se amam, né (risos)?

Mas a Lívia já começou a aprontar...
Ela é meio “doentinha”, tem problemas psicológicos. É ciumenta, Gael (Sergio Guizé), possessivo; a mãe, malvada... Todo mundo ali é violento. Ela até tenta ter boas atitudes, mas é mais forte que ela. Olha de onde ela veio! 

Até o filho da cunhada, a Clara (Bianca Bin), ela vai roubar...
Ih, é outra história (risos). Quando a Clara  fica grávida, Lívia chega a sentir tudo como se fosse com ela. E como Lívia não pode engravidar, vai fazer de tudo para ficar com esse filho. Nada justifica, mas ela é mimada, consegue tudo o que quer.

Ela tem um jeito ousado de se vestir... Usaria as roupas dela?
Algumas coisas sim, outras não. Ela é uma mistura de cowgirl com hippie chic. 
O pessoal do figurino arrasa! Tem um vestido dela, garimpado no brechó, que no final da novela é meu. Já pedi (risos)!

Acredita na lei do retorno, que é o eixo central da novela?
Ah, o que você faz, volta! Não forço nada, tem gente que é vingativa, mas acho que tem de deixar a vida se encarregar disso. Então, devemos tomar cuidado para que esse retorno seja menos sofrido e, se possível, só voltem as coisas boas!

E a vida se encarregou de lhe trazer muitas vitórias, não foi?
Todo esforço e dedicação não são em vão quando genuínos. Não perco meu tempo provando nada para ninguém, apenas para mim. Me cobro muito. Desde pequena tento me superar. Se me apego no que o outro diz, me menosprezo. Então sempre tento dar o meu melhor.

Já pensou em desistir da carreira?
Lógico! A responsabilidade, o ritmo de trabalho, a rotina... é tudo muito pesado! Cobram mais da gente quando estamos em posição de destaque. 

É a mãe que sonhou em ser?
Estou me tornando, mas sempre fui muito maternal. Quando tinha 9 anos, já colocava barriga de grávida, acredita (risos)? A gente ganha outro sentido na vida depois da maternidade. Tenho minha mãe, Cleuza Massafera, como exemplo. Ela sempre foi minha amiga, mas com cuidado para não perder o controle. Sempre conversamos sobre tudo.

Pensa em ter mais filhos?
Queria quatro filhos, mas não dá. O segundo ainda quero, só que o mundo está tão perigoso... Então, não penso em ter o terceiro. Ainda não tenho data, nem nada planejado. Estou a pleno vapor no trabalho, batalhei muito para estar aqui.

Você comentou que Lívia é um reflexo da mãe. Como faz para ser um exemplo para Sofia?
Uma mãe sempre quer o melhor para o filho. Observei que, ao me reeducar, educo melhor. Mais do que cobrar, é dar o exemplo. Então, cada vez que consigo melhorar alguma coisinha em mim, sei que também estou cuidando melhor dela.

Está curtindo o cabelo escuro?
Quando vieram com essa bomba de fios mais escuros, falei: preto não (risos)! Ficou diferente, né? E olha que já deu até uma clareada de tanto lavar. Mas, para falar a verdade, perdi até a identidade. Me olhava no espelho do carro e levava um susto. Agora, acho lindo. 

E o corpo?
Em A Lei do Amor (2016), malhei e comi muito a fim de ficar com as pernas mais grossas para a Luciane (risos). Agora, o ritmo de gravação me ajudou a ficar mais fininha. Perdi 2 kg para a Lívia.

24/11/2017 - 15:48

Receba as novidades da Tititi em seu e-mail! Cadastre-se abaixo:

*preenchimento obrigatório

Conecte-se

Revista Tititi