Humberto & Ronaldo: A dupla com milhões de acessos no YouTube fala do sucesso!

Donos de canções como Carência, Amigo Cachaceiro, E Deixe o Tempo Ver, os ídolos revelam o que sonham para o futuro, que tem tudo para ser ainda mais promissor

Raquel Borges

A dupla esteve no programa de Rodrigo Faro | <i>Crédito: Divulgação Rede Record
A dupla esteve no programa de Rodrigo Faro | Crédito: Divulgação Rede Record
Há oito anos, graças a um amigo em comum, nascia a parceria entre os cantores Humberto,  29, e Ronaldo, 35. A sintonia foi tanta que logo a dupla goiana já estava se apresentando em barzinhos da capital. 
Hoje, famosos em todo o Brasil, os companheiros comemoram. Humberto é compositor de mão-cheia e tem hits nas vozes de outros ídolos. É o caso de Amo Noite e Dia, e Chove Chove, consagradas por Jorge & Mateus, e de outras gravadas por Marcos & Belutti, João Bosco & Vinicius, e Maria Cecília & Rodolfo, por exemplo. Já Ronaldo faz arranjos incríveis com viola e violão. 
Por tudo isso, a dupla vive um dos melhores momentos da vida profissional. Sobretudo, por conta do lançamento, na internet, do DVD Playlist. Apenas a canção de trabalho, Carência, com participação de Jorge & Mateus, já tem 13 milhões de views no YouTube.

TITITI – Onde nasceram e como foi a infância e adolescência de cada um de vocês?
Humberto – A gente é daqui de Goiânia mesmo. Fui filho único até os 20 anos, e aí nasceu o João Vitor, que hoje tem 10. É quase um filho pra mim. Minha família é humilde, mas meus pais sempre fizeram de tudo pra eu estudar. Quando tinha 13 anos, minha mãe me colocou numa aula de violão e desde criança ela me incentivava a cantar na igreja. Mas na época tinha vergonha (risos). Acabou que comecei a cantar.
Ronaldo – Meu nome verdeiro é Marcelo e tenho dois irmãos: Neto, o mais velho, e sou gêmeo do Mário. Aprendi a tocar violão com o meu pai, e minha mãe canta bem afinado. Em casa, eles sempre cantavam músicas de Milionário & José Rico, Tião Carreiro & Pardinho... E nunca liguei muito para os estudos. Por isso, quando me formei no ensino médio passei a cantar em barzinhos na noite. Sempre fui melhor na segunda voz e gosto de cantar assim.

Humberto, você fez faculdade, certo?
Sim, de agronomia na UFG (Universidade Federal de Goiás). Inclusive, estudei na época com o Mateus, da dupla com o Jorge. Por isso, conhecia os músicos e acabei fã deles também. Segui de perto o sucesso dos dois. Era uma época que estava surgindo muita coisa nova na música sertaneja.

Os pais de vocês apoiaram a carreira artística?
Ronaldo – Muito, e meu pai dava conselhos. Até porque comecei cedo na noite.  
Humberto – Consegui me formar com dificuldade, na marra, pois já fazia shows. Meu pai só ia me deixar partir para a carreira na música se tivesse um diploma, pois se não desse certo eu teria uma profissão. Mas os dois sempre me apoiaram e orientaram, sim. Lembro que para gravar o primeiro CD eles me incentivaram a vender um Corsa roxo, que levava a gente para as apresentações. A gente chamava o carro de rouxinol, e deu para lançar o primeiro álbum, intitulado Romance. 

Deem mais detalhes da formação da parceria?
Humberto – Morávamos no mesmo bairro e meu cunhado, Bruno (o cantor é casado com Thauanny Teixeira desde 2013), me apresentou o Ronaldo, que era amigo dele de infância. Começamos a tocar juntos, brincando mesmo. Foi tudo bem despretensioso. A galera da faculdade ajudou muito, porque sempre chamavam a gente para cantar em festinhas, confraternizações, churrascos, batizados, casamentos (risos).

Quando perceberam que estava dando certo?
Humberto – Nosso sonho sempre foi viver da música e  se o sucesso viesse seria lindo. E compreendemos que ele estava perto quando fizemos o primeiro DVD, já com gravadora e empresário. Aí pintou o apadrinhamento do Jorge e do Mateus, que nos  estenderam a mão, pois somos do mesmo escritório.

Em quais artistas se inspiram?
Humberto e Ronaldo – Muita gente! Os próprios Jorge e Mateus, Bruno & Marrone, Chitãozinho & Xororó...

Humberto, você sempre compôs? 
Meus pais trabalhavam fora e, às vezes, quando ficava sozinho, escrevia melodias em casa. Já namorava a Thauanny, somos namorados de infância. E tem várias canções pensando nela e pra ela. Por exemplo, Deixe o Tempo Ver e A Nossa Paixão.

Nossa, que legal... Ela não fica com ciúme das fãs?
Humberto – Ela é muito tranquila. Esteve do meu lado em todas as etapas e batalhas desse meio artístico, que é bem difícil.  

E você, Ronaldo, é casado? Como ela lida com ciúme?
Ronaldo – Sou, com a Karita Amorim. Mas acho que ela não tem ciúme, não. Ela se acostumou, já está normal... Bem, se ela tem, não fala (risos).

O que fazem para agradar às esposas?
Humberto – Como temos espetáculos em vários estados, toda semana tentamos voltar pra casa, nem que seja para passar apenas uns dias. E às vezes elas vão junto com a gente. Isso quando dá, porque temos bebês  pequenos. A minha, Helena, está com 2 anos, e o Ronaldo é pai da Lara Giovanna, de 1 e meio. 
Ronaldo – Minha mulher e eu preferimos ficar em casa, com a nossa rotina, nosso estilo de vida.
 
Já passaram por algum perrengue na estrada?
Humberto – Passamos direto, viajamos de ônibus, é cansativo. Às vezes, ficamos presos em aeroporto, mas faz parte. É desgastante, mas não adianta estressar! 

Qual a apresentação de vocês que consideram a mais inesquecível até aqui? 
Humberto – Tem vários shows legais, mas o especial que mais emocionou foi o que fizemos em “casa”, em Goiânia, no Villa Mix. 

Os dois já dividiram palco e gravaram com outros músicos famosos... Há mais alguém com quem têm vontade de cantar? 
Humberto e Ronaldo – Tem uma galera (risos)! Mas seria um sonho estar com Zezé Di Camargo & Luciano e Chitãozinho & Xororó!

Como imaginam a sua carreira daqui a alguns anos? Pensam no cenário internacional?
Humberto – Acho que Deus é quem sabe do futuro. Mas penso que estaremos fazendo shows e vivendo dos nossos sucessos... Quanto ao exterior, já fizemos duas turnês para brasileiros nos EUA, em 2013 e 2014. 
Ronaldo – Espero estar trabalhando novos DVDs, e ter matado a vontade de cantar com alguns artistas. Quero tocar o resto da vida!

12/01/2017 - 10:32

Conecte-se

Revista Tititi