João Baldasserini: "Tenho um pouco de medo dessa coisa de ser galã"

Carismático, o ator faz com que o antagonista de Haja Coração tenha força para viver o mocinho da vez

Daniel Vilela

João Baldasserini é Beto em Haja Coração | <i>Crédito: Divulgação/TV Globo
João Baldasserini é Beto em Haja Coração | Crédito: Divulgação/TV Globo
O público que fica ligado em Haja Coração está tão dividido quanto a Tancinha (Mariana Ximenes) no quesito com quem ela deve ficar. Afinal, não vai ser nada fácil para Apolo (Malvino Salvador) recuperar o amor da gata. Isso porque o Beto, de João Baldasserini, vem conquistando cada vez mais torcida na disputa pelo coração da loira. Mérito de João, que tem arrebentado no papel do sedutor. “Estou descobrindo um lado de humor que não sabia que existia em mim”, conta ele, que caiu nas graças dos telespectadores com seu publicitário desajeitado, porém sexy e charmoso. 

O intérprete faz questão de ressaltar que em nenhum momento Beto foi cogitado para ser o grande vilão da trama de Daniel Ortiz. “Ele não é do mal, é só mimado”, minimiza o belo. João, aliás, se diverte com a repercussão do personagem e o assédio feminino. “Quem não gosta de tirar selfie?”, diz, aos risos, aproveitando a boa fase da novela, a maior audiência do horário desde 2013.

Diferentemente de Beto, Baldasserini é um cara tranquilo. “E também não sou publicitário”, brinca ele, que, antes da fama, trabalhou como empacotador em um supermercado em Indaiatuba (SP). Mas tudo mudou quando sua mãe, Francisca, o convenceu a deixar tudo para seguir carreira artística. “O resto da família é normal”, diz ele, referindo-se aos dois irmãos mais velhos.

Aos 32 anos, João vê sua trajetória deslanchar de vento em popa. Após papéis não tão expressivos em Tempos Modernos (2010) e O Astro (2011), ele ganhou destaque tanto como o Joel, de Felizes para Sempre? (2015), quanto com o vilão Victor, de A Regra do Jogo (2015), que voltava para atazanar a ex Atena (Giovanna Antonelli). “Estou indo dormir feliz e acordando feliz da vida”, assegura.

TITITI – Beto virou sensação. Acredita que se apaixonaram por ele porque é divertido? 
João Baldasserini – Ele não é um cara que faz piada. A graça dele está no patético, nas situações constrangedoras que vive. As pessoas se divertem com ele pelo fato de estar caído pela Tancinha e ter dificuldade em reconhecer isso. Ele é um pouco orgulhoso, até arro-gante. Acho que não gostaria de se apaixonar por uma feirante. Justo ele, rico e elegante (risos).

Mas não era para ele ser um vilão de botar medo?
Nunca vi o Beto como um. Acho até bonito ele tentando superar essa coisa masculina de não expressar sentimentos, de esconder seu coração mole. Ele quer mostrar segurança, mas no fundo é todo frágil. E aí o público ri: “Tadinho, quando é que vai perceber que está apaixonado (risos)?”

Qual a parte mais difícil na hora de gravar a novela?
O elenco é divertido, mas o Beto apanha demais (gargalhadas). Quando chego à cena e me perguntam: “Ah, qual era o olho que estava roxo, mesmo?” Nem sei se é mais o esquerdo ou o direito. Um capítulo me batem daqui, outro, dali. Até o cachorro já mordeu o Beto (risos).

Como foi parar na carreira artística?
Quase fiz vestibular para direito, mas minha mãe me convenceu a fazer teatro. É uma mulher muito sensível. Nas horas livres, canta em barzinho, faz serenata. Minha mãe é o máximo!

E a relação com sua mãe na ficção é bacana também?
Nossa, mas que família o Beto tem, né? (risos) Adoro a Carolina Ferraz. Que mãe (gargalhadas)! Até falei para a de verdade: “Você está bem representada, hein?!”

O rótulo de galã incomoda?
Tenho um pouco de medo dessa coisa de ser galã (risos). Não me acho feio, mas também não me vejo como a coisa mais linda do mundo. Sou um cara feliz, satisfeito.

Como lida com o assédio?
Faz parte da carreira que escolhi, então levo numa boa. É uma delícia quando pedem para tirar foto comigo. Vejo com um reconhecimento de um trabalho benfeito.

O Beto aflorou o seu lado pegador?
Sou muito simples, com defeitos e qualidades, mas fiel ao meu trabalho. Beto é um galã? Então, vou fazer o máximo para ser um galanteador nesse momento (risos).

Mas e o mulherengo?
Não sei fazer isso (risos). Sou muito de boa. Às vezes, só depois percebo que perdi a chance de ficar com a menina mais bonita da festa (gargalhadas). Aí me pergunto: “Como que fiz isso?”

Já foi dispensado assim como o Beto foi pela Tancinha?
Ah, mas muito (risos). Quem negar está mentindo. Faz parte da vida. Já até fui largado por uma ex-namorada. Assumir que está sendo abandonado e lidar com a rejeição é difícil para qualquer pessoa, ninguém quer sofrer. Mas o lado bom é que a gente acaba se fortalecendo, ficando mais seguro depois.


06/09/2016 - 22:00

Receba as novidades da Tititi em seu e-mail! Cadastre-se abaixo:

*preenchimento obrigatório

Conecte-se

Revista Tititi