Raffaele Casuccio: 'o brasileiro é muito caloroso, receptivo e me sinto muito bem aqui'

Uma das estrelas de O Negócio, o ator italiano conta um pouco sobre sua vida no Rio de Janeiro, cidade que adotou há seis anos

Daniel Vilela

Raffaele Casuccio | <i>Crédito: Sergio Santoian
Raffaele Casuccio | Crédito: Sergio Santoian

Muito antes de desembarcar no Brasil, onde mora há seis anos, o italiano Raffaele Casuccio já ficava de olho em nosso país por meio da TV de casa. "Novelas como Dancin' Days (1979) e Terra Nostra (2000) foram grandes sucessos na Itália, lembro da minha mãe assistindo a elas quando era criança", relembra o ator e coreógrafo, atualmente radicado no Rio de Janeiro. Hoje, é na telinha, que ele busca por novos desafios profissionais. "Fico muito orgulho de estar por aqui e ter espaço para mostrar minha arte", pondera o galã, que além de já ter trabalhado por trás das câmeras, coreografando o elenco de Rock Story (2016), também tem feito bonito em frente a elas. Afinal, ele é um destaques da última temporada de O Negócio, série do canal fechado HBO, como o sedutor Giancarlo. "Fico muito agradecido com o carinho do público", revela.

ITITI - Já se sente um carioca nato?
Raffaele Casuccio
- Estou há seis anos no Brasil e foi amor à primeira vista pela cidade. Vim com uma carioca que estava morando em Roma e que me apresentou tudo, a cidade, a sua natureza exuberante, os ritmos, as cores, o calor. Percebi a recepção de um povo diferente, mas ao mesmo tempo tão próximo de nós, os italianos, e resolvi ficar. Já me sinto carioca. Sento na mureta da Urca, vou à praia para ver o por-do-sol...

Por que escolheu o Brasil como sua segunda casa?
O brasileiro é muito caloroso, receptivo e me sinto muito bem aqui. O Rio me permite viver de forma bem parecida com Nápoles, minha terra natal, por conta do mar e da proximidade com a serra, dois climas opostos e que gosto muito. E, mesmo com as contradições que a cidade possui, como violência e corrupção, ainda assim sinto que vale a pena continuar vivendo aqui.

Sempre quis seguir a carreira artística? 
Claro, mas pouco antes da minha carreira começar, eu já estava matriculado na universidade La Sapienza, em Roma. Mesmo quando estava morando e trabalhando em Londres com sucesso, nunca larguei os estudos. Estudava nos sets e pegava um avião para realizar as provas em Roma. Foi assim que formei em Comunicação. Nunca precisei trabalhar com isso, mas estou totalmente certo que essa faculdade abriu meu entendimento do humano e da vida em geral.

Como surgiu a oportunidade de trabalhar como coreógrafo para tanta gente incrível como Ricky Martin, integrantes das Spice Girls e até mesmo o tenor Luciano Pavarotti?
Foi uma passagem muito natural. Quando morei em Londres meu estilo de dança começou a mudar, a se atualizar trabalhando com artistas e coreógrafos de grande talento, e foi assim que, quando voltei para Itália, os coreógrafos começaram a me dar espaço para criar meus próprios passos. Comecei numa companhia de dança especializada na mistura de dança de rua, contemporâneo e acrobática. Mas logo em seguida dei meu primeiro passo na televisão através de um teste com o coreografo número um na Itália: Luca Tommassini. Ele é agora diretor artístico de X-Factor, Amici e outros programas de grande sucesso no meu país. Na época ele estava dirigindo Gery HalliwellRicky Martin e Kylie Minogue, foi assim que comecei a participar dos videoclipes e dos tour promocionais desses artistas.

Seu mais recente sucesso na televisão é o Giancarlo de O Negócio, um personagem bastante sedutor. Nota que o assédio das fãs e dos fãs aumentou ao você encarnar esse homem que adora um jogo de sedução?
Acredito que sim e a exposição das cenas mais picantes agregaram também. Recebo muitos elogios pelo trabalho e de quem gosta do personagem e está seguindo a série por causa do Giancarlo. Recebo muitos elogios pela forma física e, apesar de ficar tímido, fico muito agradecido pelo carinho do público.

Como define esse personagem?
A série foi um sucesso nacional e internacional e que tenho muito orgulho de fazer parte deste projeto; de ver o meu personagem ganhando destaque na trama e de poder mostrar meu trabalho como ator. Sempre amei atuar, algo que eu faço desde pequeno, mesmo que a dança tenha liderado a minha adolescência. Quero me dedicar a atuação e espero estar em novos projetos, seja na TV fechada ou aberta.

03/06/2018 - 17:46

Receba as novidades da Tititi em seu e-mail! Cadastre-se abaixo:

*preenchimento obrigatório

Conecte-se

Revista Tititi