Régis Figueiredo: revelação do sertanejo chega com tudo!

Batalhador e talentoso, o ídolo está estourando no YouTube com o hit Pen Drive

Régis Figueiredo | <i>Crédito: Maurício Antônio/Divulgação
Régis Figueiredo | Crédito: Maurício Antônio/Divulgação
De origem humilde, Régis Figueiredo, de 33 anos, já ralou muito para chegar até aqui e conquistar espaço no disputado cenário musical. O cantor de sucessos como Pen Drive, estourada também na internet, já trabalhou inclusive na lavoura com a família, da qual tem muito orgulho. 
Nascido em Presidente Venceslau e morador de Caiuá (SP), o artista viu o gosto pela música nascer quando ainda era bem pequeno. Aos 7 anos, já cantava na igreja, aos 14 criou, junto com colegas de escola, a banda Jatobá. O nome dela mudou para Amanhecer no Samba e depois Sem Limite, com a qual gravou um CD com cinco canções suas. 
Aos 20 anos, Régis formou dupla com Rubens, e os dois se  tornaram conhecidos como os Violeiros de Caiuá. Em 2009, após sete anos e três CDs, os dois romperam a parceria e Régis se mudou para a capital paulista em busca de seu sonho: brilhar na carreira, desta vez, em solo. 
De lá pra cá, a trajetória só tem deslanchado. Tanto é que, lançará no dia 16/10, na casa de shows Audio, em Sampa, o CD Abrindo o Coração.

TITITI - O sertanejo sempre esteve presente em sua vida?
Régis Figueiredo – Sim, na minha cidade é muito forte o sertanejo. Sempre ouvi dentro de casa, com tios, meu irmão (Rogerio Figueiredo de Souza)... que tocava violão... 

De onde surgiu o Violeiros de Caiuá?
Rubens e eu éramos conhecidos como Violeiros de Caiuá porque tocávamos com dois violões. E, na época, abrimos vários shows como o de João Bosco & Vinicius, por exemplo. Mas a dupla terminou numa boa, com ele torcendo bastante por mim. 

Fala um pouquinho mais do Abrindo o Coração?
Nós acabamos de gravá-lo com a produção de Laércio da Costa, um dos maiores produtores do mercado fonográfico. O carro-chefe é Pen Drive, que, graças a Deus, já teve mais de 160 mil visualizações. 

Inspira-se em outros sertanejos?
Sim, admiro muito Bruno & Marrone, Daniel, Chitãozinho & Xororó, Fernando & Sorocaba. Então, vou buscando inspiração no sentido de conteúdo.

Qual a sua maior ambição?
Levar minha música para o máximo de pessoas e viver dignamente da arte. Também quero ajudar as pessoas por meio das minhas músicas.

Como se imagina daqui a cinco anos?
Rodando o Brasil inteiro, fazendo sucesso por todas as cidades, sendo reconhecido.

Você é caseiro?
Curto muito sair com amigos, mas prefiro estar em casa, passear com meu filho, Felipe Figueiredo, de 2 anos (que mora com a mãe na capital paulista).

Do que mais gosta em você?
Da minha essência. Apesar de ter saído de uma cidade de 
4 mil habitantes para esse mundo que é São Paulo, mantenho minha base familiar. Sou uma pessoa humilde e quero manter os pés no chão.

Você está solteiro... Como é viver longe da família? 
Muito difícil. Já chorei várias vezes. A saudade bate sempre, mas toda vez que posso estou indo lá para ver meus pais e os demais. 

O que motiva você a seguir na batalha pela música?
O que me motiva é a certeza de que vou vencer! Tenho muita fé, sou um cara muito religioso. O que me faz continuar é ter a certeza de que vou chegar lá!

26/10/2016 - 15:25

Conecte-se

Revista Tititi