Ricardo Tozzi: “Acho que romantismo não tem a ver com amor”

O ator que interpreta o político honesto Augusto, na novela das 9, fala do personagem, de sentimento e muito mais!

Raquel Borges

Ricardo Tozzi faz o político honesto Augusto | <i>Crédito: Martin Gurfein/ Globo/Estevam Avellar/ TV Globo/ João Miguel Júnior
Ricardo Tozzi faz o político honesto Augusto | Crédito: Martin Gurfein/ Globo/Estevam Avellar/ TV Globo/ João Miguel Júnior
Aos 41 anos, o ator Ricardo Tozzi garante: é o amor que o move! E não tem quem duvide disso, pois o paulista de Campinas mudou sua vida por uma paixão: a arte de interpretar. Aos 25 anos, o artista Tozzi trocou a carreira promissora de executivo na Câmara Americana de Comércio, em São Paulo, para se dedicar à trajetória de ator. Uma senhora guinada, apesar do sucesso naquela área... “Fiz faculdade de administração no Mackenzie e cheguei ao ponto alto daquela profissão. Podia visualizar como seria a carreira aos 50 anos. Naquele momento, entendi que precisava mudar, mas não queria uma nova profissão sem estar preparado para”, conta Tozzi.
De olho em seu objetivo, mas com os dois pés no chão, o intérprete do prefeito Augusto, de  A Lei do Amor, e tantos outros tipos marcantes na Globo, foi conciliando durante cinco anos o trabalho burocrático com as aulas de interpretação, no Teatro Escola Macunaíma, na capital paulista. Que deu certo, a gente já sabe, né?
A primeira aparição do gato na TV foi em Bang Bang (2005), como o doutor Haroldo. Depois surgiu o Primo Cândido de Pé na Jaca (2006); o Douglas de Insensato Coração (2011); e  Inácio e Fabian, de Cheias de Charme, em reprise  no Vale a Pena Ver de Novo. 
Agora, Ricardo se orgulha do  papel na trama das 9, o político apaixonado por Vitória (Camila Morgado) e que sempre enfrentou os pais dela, o até aqui corrupto Fausto (Tarcísio Meira) e Mág (Vera Holtz), que separou o casal no passado. “A redenção dele será por meio, justamente, do amor!”, revela. 
 
TITITI – O Augusto, realmente, é esse poço de retidão?
Ricardo Tozzi – Olha, ele é essencialmente amor. E ainda é apaixonado pela Vitória, de quem foi separado pela Mág. Ela acabou se casando com o Ciro (Thiago Lacerda) e o Augusto, com uma mulher misteriosa que ainda não apareceu na trama (trata-se de Beth, vivida por Regiane Alves). Augusto e Vitória voltarão a se envolver, justamente, no momento em que a esposa dele reaparece. 

Mas ele é  do bem ou trama vingança contra Mág, por ela ter matado o pai dele?
Ele é completamente honesto, sim. E o pai dele foi mesmo morto pela Mág, a santa do pau oco. E ele sabe disso, mas não consegue se vingar, pelo menos até onde sei. Mas ainda é apaixonado pela filha da assassina do seu pai. É tenso.

Você se inspirou em alguém para o papel?
Não fiz laboratório, até porque não conheço político honesto. Se você me der o nome de um  que garanta não ser corrupto, ligo para ele agora! E o Augusto veio para dar um exemplo do que é uma pessoa ética, por- que estamos num momento bem complicado no Brasil, sem referência nenhuma. 

Acredita que o país voltará a ter bons homens públicos?
É um sonho. Em vários países, os políticos são virtuosos, ganham salários baixos, se dedicam a melhorar alguma coisa, por um ideal... Por que aqui os políticos roubam tanto? Tiram o dinheiro do povo que não come? É um absurdo!

Já que não tem em quem se espelhar, como trabalhou o personagem?
Espelhei-o em mim, que sou honesto. Usei a base de como deve ser um cara ético. 





A redenção do Augusto será por meio do amor pela Vitória?
Sim, totalmente. Essa novela fala de amor, de uma coisa que permeia a vida de todo mundo. Estão todos querendo amar, carentes nesse mundo contemporâneo absurdo. Mil pessoas xavecando pelo Facebook, Instagram... E se você não construir uma relação de parceria, vão todos se perder. Só o amor salva.

Então, o que é a lei do amor?
O amor é a base de tudo, é a lei da existência. Todo amor que você recebe, ou recebeu, vai fazer a maior diferença na sua vida. A gente tem que propagá-lo. Acho que a minha lei real, a do Tozzi, é querer praticar ou gerar o maior amor possível em tudo que faço. 

É romântico?
Acho que romantismo não tem a ver com amor.  Sou um cara mais aventureiro, da energia e do alto-astral, não idealizo jantar à luz de vela... Sou prático, acho que abraçar e estar junto é bem mais gostoso. Mas claro que sou romântico. Só que gosto de viver o agora. Por isso o carinho do dia a dia é importante... 




Como é se ver na reprise de Cheias de Charme?
Ah, é sensacional. Na época não conseguia assistir, porque trabalhei muito. Às vezes, vejo uma cena ou outra e não lembro como foi feita... é uma novela bonitinha. 

Vai rolar ainda o filme sobre as Empreguetes?
Sim! Vai acontecer quando terminar A Lei. Porém, dependia da agenda do elenco. E parece que, em 2017, vamos conseguir conciliar com todos os artistas, se Deus quiser! 

23/11/2016 - 17:01

Receba as novidades da Tititi em seu e-mail! Cadastre-se abaixo:

*preenchimento obrigatório

Conecte-se

Revista Tititi