Saulo Meneghetti: Galã a caminho de brilhar em O Rico e Lázaro, da Record

Sucesso em Escrava Mãe, ele relata os perrengues que passou no início da carreira

Raquel Borges

O galã está na próxima trama da Record | <i>Crédito: Divulgação
O galã está na próxima trama da Record | Crédito: Divulgação
Hoje, aos 31 anos, o ator Saulo Meneghetti conta que sempre sonhou com a trajetória artística. “Desde criança reunia a família em Chapecó (SC), onde nasci, para apresentar alguma coisa na sala de casa (esta entrevista foi feita antes da tragédia com a Chapecoense, por isso o tema não foi abordado)”, relembra. Atualmente, a plateia ficou bem maior e o astro vem fazendo bonito como o abolicionista Charles, de Escrava Mãe, da Record. 
Formado em artes plásticas, o gato atualmente mora no Rio, por causa das gravações de O Rico e Lázaro, próxima trama da emissora, de Paula Richard. Sua primeira novela foi Os Mutantes (2008), na Record; depois veio Revelação (2009), no SBT; Tempos Modernos (2010), na Globo; e Carrossel (2012), no SBT; entre outras. Veja a entrevista!

TITITI – Como pintou a vontade de ser ator? E fala do início da carreira?
Saulo Meneghetti – Comecei aos 15 anos na companhia de teatro A Gralha Azul, na época uma das maiores da minha região. E quando completei 19 fui para São Paulo, onde ralei bastante enquanto fazia a Escola de Atores Wolf Maya.

O que você fazia?
Ah, trabalhei de barman, garçom, sempre pintava algum pra pagar as contas. Passei dificuldades, e meu pai (Deori Meneghetti), quando parti pra Sampa, disse que se não desse certo eu poderia voltar. Mas, graças a Deus, foram pintando trabalhos em algumas companhias como Os Satyros, por exemplo. 

Sua família sempre apoiou?
Sim, tanto meu pai quanto  minha mãe (Zaira Antunes) ficaram preocupados com o filho morando sozinho, numa cidade nova e grande como São Paulo, numa nova carreira, sem uma estabilidade financeira... Porém, sempre souberam que era meu sonho, e oraram – e oram – por mim.

E eles sabiam da falta de grana que você passava?
Não, ficava quieto para não assustar a família. E meu foco era permanecer em São Paulo.

De que forma vê o Charles?
Ele é um revolucionário que está à frente da época em que a novela se passa. Como já viajou o mundo inteiro, traz na bagagem as ideias de abolicionismo que viu na Inglaterra. É responsável pelo primeiro jornal da vila; além de ser contra a escravidão, ele toca no assunto sobre os direitos da mulher. Isso é muito bacana. 

Gostou de fazer uma novela de época?
Muito, é legal! A gente faz uma viagem no tempo, vive outros costumes, tem a forma de falar, um bonito figurino e cenários elegantes...

É diferente trabalhar numa novela que já está toda gravada?
Não vi nada que tenha atrapalhado. Deu para me preparar para um papel no cinema, e ainda estou na outra novela da casa (O Rico e Lázaro). Foi até legal essa demora (para ser exibida), porque tive espaço para encaixar outros trabalhos.  

Está solteiro? É romântico? 
Estou solteiro há três anos. E quando estou namorando me esforço para ser romântico, acredito que surpreender a pessoa amada é importante. Preparar um jantar com uma música legal...

Mas está procurando alguém?
Estou de boa... focado na minha carreira, no meu momento, que requer tempo e muito trabalho...

Você falou de jantar romântico... Sabe cozinhar?
Sim, adoro! Sou de família italiana, meu avô Beroni inventava bolos, tortas... Cozinhar é uma terapia.

20/12/2016 - 18:47

Receba as novidades da Tititi em seu e-mail! Cadastre-se abaixo:

*preenchimento obrigatório

Conecte-se

Revista Tititi